História Resumida da Raça

A Liver and White King Charles Spaniel in a Wooded Landscape, 1776 , George Stubbs

A Liver and White King Charles Spaniel in a Wooded Landscape, 1776 , George Stubbs

A raça Cavalier King Charles Spaniel existe há mais de cinco séculos. Esta existência é comprovada historicamente por diversas evidências genuínas, que são reconhecidas oficialmente pelos historiadores. São diversos textos, incluindo documentos, diários, registros de cinófilios e sociedades cinofílicas (kennels), jornais, revistas, poesias, livros, dentre outros. Mas o que mais ilustra, dá vida e forma a estes cães são as obras de arte, que não se limitam às centenas de telas pintadas, nas quais estes cãezinhos figuram ao lado da nobreza britânica e européia (veja a nossa Galeria de Arte), pois também incluem esculturas em porcelana e em outros materiais.

Foram cães admirados pelos reis, em especial os da família Stuart (Charles I, Charles II e James II) e também pela Rainha Vitória. John Churchill, que morou no palácio de Blenheim, também teve grande influência na história destes pequenos cães, em especial aqueles com pelagem branca com marcas castanhas. Por este motivo, os cães com esta pelagem são assim chamados. Ao longo de tantos anos, os Cavaliers sofreram influência de moda e por pouco não se extinguiram. Foi somente em 1945 que, graças aos esforços de um americano chamado Roswell Eldridge e de um grupo de ingleses liderados por Miss Mostyn Walker, a raça foi recriada e registrada oficialmente como Cavalier King Charles Spaniel. Com esta terminologia, ou seja, com este nome, a raça se diferencia de seus companheiros alterados pelos modismos, que são chamados, King Charles Spaniels (sem a palavra Cavalier).

 

Parceiros

Royal Canin

Facebook

Entre em Contato

Disponibilizamos estes canais de comunicação para atendê-los da melhor forma.

phone2 (32) 9123.6168 / (31) 9180.9356

email contato@mycavalier.com.br